LifeSitenews, "Pornografia adulta pesada contribui para o abuso sexual de crianças: relatório do MIM (Morality in Media)"
Pornografia adulta pesada contribui para o abuso sexual de crianças: relatório do MIM (Morality in Media)

NOVA IORQUE, 28 Setembro, 2009 (LifeSiteNews.com) – Na luta contra o abuso sexual de crianças, a explosão da pornografia adulta pesada na Internet e em qualquer parte é um factor causal directo que não pode ser ignorado, de acordo com o grupo de cão de guarda dos media Morality in Media numa exposição dispendiosa lançada na Sexta.
O relatório de 40 páginas intitulado “Como é que a pornografia adulta contribui para a exploração sexual de crianças” é acompanhado por 175 páginas de apêndices, e sucessos de fontes que incluem novos artigos, casos de tribunal, revistas sábias, estudos de ciências sociais, livros testemunhos de Congressos desde 1980. O relatório foi compilado pelo presidente do MIM Robert W. Peters.

As provas compiladas mostram que:

-          Os criminosos muitas vezes progridem de ver pornografia adulta a ver pornografia infantil

-          Os criminosos usam pornografia adulta para preparar as suas vítimas mais novas.

-          Actuam como vêem na pornografia adulta com crianças prostitutas e os proxenetas usam pornografia adulta para instruir crianças prostitutas

-          As crianças imitam o comportamento que vêem na pornografia adulta com outras crianças

-          Os criminosos usam pornografia adulta para se excitarem sexualmente

-          Adição a pornografia de adultos destrói casamentos, e as crianças criadas em famílias mono parentais são mais propensas a ser exploradas sexualmente

No relatório, Peters recomenda às entidades governamentais e privadas a trabalharem juntos para restringir a exploração sexual de crianças. “Para a maior parte no entanto,” diz Peters, “estas mesmas…entidades fecharam os olhos à pornografia adulta pesada na Internet e em qualquer parte…os que lutaram contra a exploração de crianças mas que viraram as costas aos problemas da pornografia adultas estão a cometer um erro trágico.”.

Peters observa que enquanto a pornografia adulta pesada não representa realmente crianças, ele nota que inclui frequentemente “representações pesadas de sexo com pessoas que parecem crianças e com adolescentes nuamente válidos.”.

De acordo com as críticas que dizem que a pornografia adulta pesada é legal, Peters aponta que o Congresso emendou as leis federais da obscenidade em 1996 “para clarificar que a distribuição de assuntos obscenos é proibido na Internet.”. Além disso, o Tribunal Supremo dos Estados Unidos determinou em Miller v. Califórnia que foi “categoricamente resolvido” que “o material obsceno não está protegido pela Primeira Emenda.”.

“O Tribunal Miller definiu o termo obsceno prometendo restringir o alcance da…lei da obscenidade à pornografia pesada,” afirma ele. “Hoje, muita pornografia adulta distribuída comercialmente seja online ou noutro sítio qualquer, é pesada.”.

Peters também rejeita a noção de que metade dos americanos já não consideram a pornografia adulta pesada inaceitável.

“Os defensores da pornografia passam por alto pelo menos três factores,” escreveu Peters. “Primeiro, muita se não a maioria da pornografia adulta pesada é consumida por uma relativamente pequena percentagem de indivíduos que estão viciados nela.

Segundo, só porque uma pessoa experimenta pornografia adulta pesada por um período de tempo ou numa ocasião sucumbe à tentação de ver não significa que aprove o que é visto, especialmente quando a pornografia adulta pesada promove o seu produto agressivamente…Terceiro, muitos visitantes de sites de adultos são menores.”.

Ele cita também os resultados de alguns registos por Harris Interactive e Pew Research Center que indicam que a maioria dos adultos não considera a pornografia moralmente aceitável ou inofensiva e que querem as leis federais da obscenidade reforçadas.

Assim, conclui, é um erro para o Departamento da Justiça do FBI focar as suas energias quase exclusivamente em predadores de crianças e pornografia infantil, enquanto ignoram a rápida expansão da pornografia pesada.

“Em primeiro lugar,” escreve Peters, “a explosão da pornografia adulta pesada está a contribuir para a exploração sexual de crianças de várias maneiras. Em segundo lugar, as crianças são prejudicadas não só pelos predadores; são também prejudicadas pela exposição à pornografia adulta pesada…

“Em terceiro lugar…um resultado frequente da perseguição federal com sucesso de uma obscenidade é uma significativa multa e/ou perda de direito da propriedade…pode equilibrar o todo ou parte dos custos destes casos. Em quarto lugar…não são só as crianças que são prejudicadas pela pornografia adulta pesada.”.

Peters afirma que “o envolvimento parental, educação pública, o envolvimento de grupos religiosos, e responsabilidade corporativa são todas urgentemente precisas” em conjunto com o reforço da lei.

Traduzido de LifeSiteNews.com

 

ASSOCIAÇÃO FAMÍLIA E SOCIEDADE
Horário: 9h30 - 13h30
Rua do Lumiar 78 / 1750-164 Lisboa
Tel/Fax: 21 314 95 85 - familiasociedade@sapo.pt